sexta-feira, 8 de abril de 2011

O meu arrependimento

Todo mundo tem arrependimentos.

Pra mim o maior arrependimento é aquele que me volta mais constantemente. Nem sempre são as maiores coisas, que tiveram mais consequencias.

Meu maior arrependimento é por uma omissão, não por uma ação. Anos já se passaram, e pelo menos uma vez por semana eu penso nisso.

O que teria mudado? Provavelmente nada além de um sentimento de satisfação pessoal.

Porque meu maior arrependimento foi ter simplesmente fechado a porta sem antes ter dado pelo menos um tapa na cara.

Ainda hoje não deixo de pensar que eu me sentiria uma pessoa mais completa e realizada se eu tivesse quebrado aquele nariz. Mas eu só fechei a porta, sem dizer mais nada, e passei horas tremendo de raiva. Engoli minha raiva.

Uma atitude agressiva da minha parte? Sim. Eu sei que temos que engolir muitas coisas pra conviver com as pessoas, não podemos sair resolvendo as coisas com violência. Sei disso tudo.

Mas sei também que se até hoje me assombra não ter feito nada violento, é porque era merecidíssimo. E não ter dado esse tapa, ou esse soco, ou esse chute no saco, qualquer coisa física, palpável, dolorosa e humilhante, doi em mim até hoje muito mais do que teria doido nele na hora.

Um comentário:

Cláudio J Gontijo disse...

Elis

Sou um Biólogo e Professor, radicado em Sete Lagoas-MG, que busca a divulgação da causa ambiental. Que busca, sem maiores pretensões, compartilhar o conhecimento e o positivismo.

Se puder, visite o Ver de Vida. http://vervida.blogspot.com

Felicidade em sua jornada.